Imagem

 

XAMÖ Palavra fácil de pronunciar, difícil de definir…

Na visão antropológica, o xamã é “… uma espécie de curandeiro ou sacerdote tribal. O mediador entre o mundo espiritual e o mundo dos homens, capaz de transitar por esses dois universos”.

A ORIGEM DA PALAVRA XAMÃ
A palavra xamã, usada internacionalmente, atingiu o vocabulário etnológicos através do russo, do tungue-manchu:saman (derivado do verbo Scha, “saber”). Assim xamã significa alguém que sabe. Um sábio. Tentou-se explicar o termo tungue a partir do páli; “schamana” (traduzida para algo como “monge, asceta”). Outras pesquisas etnológicas mostram que a verdadeira origem da palavra Shaman pode ser o sânscrito “sramana”.
Nas outras línguas do centro e do norte da Ásia, os termos correspondentes são: em YacultoOjon (o e o xamã do sexo feminino udujan), Mongolbügä, bögä (buge, bü)Ugadan (também o buriate udayan e o iacuto udoyan, a “mulher-xamã”)Turco-tártarokamAltaicokam, Gam, kami etc.. No ButiratesBoo, e na Ásia CentralBakshi. Para os samoanostadibe. Para os lapõesmoitafinlandêstieöjö e húngaros: táltos.

XAMANISMO NÃO É ESPIRITUALIDADE INDIGENA
Embora os nativos de todo o mundo pratiquem essa “Medicina da Terra”. Quando se ouve a palavra “xamanismo”,
a maioria das pessoas imagina cocares, couro de búfalo, rodas medicinais, filtros dos sonhos (imagens associadas à cultura Nativa Americana).
Muitos Nativos americanos desconhecem o termo “xamã”, que foi cunhado por antropólogos para definir um conjunto de crenças ancestrais, que é um caminho de conhecimento, um caminho sagrado (tanto que para muitas nações da America, como a Grande Nação Sioux – o equivalente a xamã é o homem ou a mulher que cuida do sagrado ou homem/mulher da medicina).

 

O xamã é escolhido a partir de um chamamento divino, por herança ou por aprendizagem. Em qualquer um destes casos, ele teria que passar por experiências iniciáticas e por uma árdua aprendizagem, na qual o futuro xamã experimentava a sua própria morte e renascimento, penetrando nos outros mundos, aprendendo a linguagem dos animais, das plantas, das pedras e encontrando os Guardiães e os Mestres das outras dimensões. Abrindo as portas da sua percepção, o xamã recebia os conhecimentos e o poder para ajudar e curar os outros. Ao final, o seu corpo é refeito, porém, sempre faltará um ossinho, perdido e jamais encontrado, para dar-lhe a dimensão da sua imperfeição e, portanto, de sua humanidade. 
Para muitas culturas, o xamã era quem possuía a chave para penetrar no mundo dos espíritos e assim ser mediador entre a vontade dos Deuses e os homens. Sua posição de historiador, curador, sábio conselheiro e chefe espiritual não lhe eram outorgada ao acaso. 
O candidato era identificado por determinados sinais que ia mostrando ao longo de sua infância e puberdade, que consistiam em sintomas físicos e psíquicos particulares: isolamento, convulsões, visões terríveis, enfermidades físicas desconhecidas, linguagem incoerente, etc. Por volta dos 15 anos era isolado em uma gruta e o submetido a uma rigorosa iniciação; provas que implicavam na confrontação com o mundo “profundo”. Nesta luta cruel se o candidato saía vitorioso, os elementais (espíritos da natureza) o serviam como aliados e intermediários com outros espíritos dotando-o de poderes curadores, do dom para interpretar sonhos, a capacidade para viajar de tempo e espaço, a magia para adotar formas animais diversas e o conhecimento curador das ervas. Ao fracassar na prova, seria vencido por estas mesmas forças sob forma de morte ou enfermidade, loucura e sofrimento constante.

 

 

http://www.oficinadeconsciencia.com.br/xamanismo.html

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s