O estado em que podemos ouvir o que não conseguimos nas palavras. Não as temos que cheguem para definir o medo que sentimos, o amor que pedimos, a raiva que nos sobra, a surpresa que nos toca, a paixão que nos consome ou o medo que nos trava… não temos vocabulário suficiente para definir o que nos falta ou sobra. No silêncio escutamos com mais clareza. Somos os únicos que comunicamos articuladamente, diz-se. Mas diz-se menos da incrível capacidade de falarmos e escutarmos dentro de nós – uma língua privativa onde encontramos justificações que não cabem nas palavras que conhecemos.

Luis Osório

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s